Depressão e o dilema para responder “você está bem?”

Pessoas com humor deprimido ou com vivências de emoções negativas tendem a se sentirem isoladas, sem apoio social. Uma queixa frequente é a ausência de preocupação de outras pessoas próximas. Pessoas deprimidas costumam manifestar sentimentos de desconexão ou isolamento através de falas como: "não tenho nenhum amigo", "ninguém se importa", "sou muito sozinha"; e sentimentos de desesperança: "me sinto derrotado", "já perdi a esperança”.

menina adolescente depressão conversa com amiga colega
Além dessas, essa é outra fala bastante frequente: “ninguém me pergunta se estou bem!” Entretanto, quando olhamos de perto para a rotina dessa pessoa, observamos que ao longo do dia muitos colegas ou familiares se aproximam para perguntar se “está tudo bem?”.

Como que, com várias pessoas perguntando se ela está bem, ela continua a pensar que ninguém se importa?

O problema é que, quando alguém pergunta se está tudo bem, ainda que a pessoa esteja se sentindo mal — com sentimentos de tristeza, vazio, raiva, ansiedade etc. — e ainda que ela reclame tanto por atenção, muito provavelmente ela irá responder: “estou bem, obrigada!”

Em seguida, continuará a se queixar: "ninguém se preocupa comigo!”

Isso acontece porque...

A pergunta “tudo bem?” é uma convenção social que a maioria das pessoas só faz por educação. E todos respondem, também por educação, que “sim, está tudo bem”. Poucos são os que estão de fato dispostos a ouvir os problemas do outro. Responder “não estou bem” é quase uma falta de educação. 

Segundo, a pessoa que está se sentindo mal dificilmente estará disposta a se abrir e falar de seus problemas para qualquer um. Falar de nossos sentimentos é difícil! “Não quero ter que ficar respondendo um monte de perguntas ou justificando por que estou assim”.

Além disso, falar de problemas demanda tempo para que o ouvinte possa ser contextualizado e para que aquilo que o falante está sentindo possa fazer sentindo. O colega ouvinte realmente irá querer ficar ali ouvindo por minutos ou horas? “Ele vai achar que sou um chato falando da minha vida... então deixa pra lá... melhor não incomodá-lo com meus problemas”.

Ainda que a pessoa tente se abrir e responda com um sincero “não estou muito bem”, muito provavelmente ela completará a frase com: “mas deixa pra lá”, “não é nada demais”, “não quero falar sobre isso”, “você não vai entender mesmo”.

Menina deprimida responde amiga que pergunta se ela está bem, adolescente em jovem em depressão


Outro motivo da pessoa não querer falar sobre uma situação que produziu sentimentos negativos é que ato de falar sobre isso traz lembranças ruins e mais sentimentos negativos “eu não quero lembrar dessas coisas”.

Outras vezes, sequer há algum motivo específico que causou um estado emocional negativo, e a pessoa evita falar de seus sentimentos porque sabe que não vai ser possível justificá-los.

Uma pessoa deprimida também pode achar a pergunta “você está bem?” desconfortável, pois pode ter a crença de que se ela responder que não está bem, estaria demonstrando inferioridade “É claro que estou bem. Eu não pareço bem? Por que a pergunta?”



Quando alguém pergunta se está tudo bem...

O dilema do “Você está bem?” é que é difícil responder “estou bem” quando a pessoa realmente não está, e, por outro lado, se abrir dizendo que "não está bem" é tão difícil quanto.

O dilema do “Você está bem?” é que a pessoa se sente isolada e sem apoio social, mas quando alguém se aproxima querendo entender o que se passa, ela é invadida de tensões que não permitem que ela se abra.

O dilema do “Você está bem?” é que se a pessoa responde “não estou bem”, ela pode achar que está incomodando a outra pessoa, mas se responde “estou bem, obrigada”, ela pode se sentir culpada por não ter sido sincera com seus sentimentos.

No final, ela continua a manter a crença de que "ninguém se importa"!




Como você está?você está bem? como vai você? responder depressão


Estratégias para lidar com o Dilema do “Você está bem?”


A principal recomendação para quem está de fato tendo a vida prejudicada pela depressão é buscar ajuda especializada profissional com psicoterapeutas e médicos. Mas vejamos algumas dicas para lidar com o dilema do “como você está?” no dia a dia, esteja você enfrentando um problema ou tentando ajudar outra pessoa que sofre com um problema.


Para quem está com depressão


O que responder quando perguntam se está tudo bem...

Se você está com humor deprimido e/ou vivenciando sentimentos negativos, responda: você se sente isolado? Você se sente como se ninguém se preocupasse com você?

Se sim, então reflita: qual a sua reação quando alguém pergunta “como você está?” [Pense quando a) alguém da família, b) um amigo ou c) um conhecido não muito próximo fazem esse tipo de pergunta, como você reage?]

Tudo bem se você responde enganosamente que “está bem”, pois como vimos acima pode ser desconfortável para você se abrir e falar sobre seus sentimentos. Mas, será que não é um exagero, pensar que ninguém se importa com você? Desafie seus pensamentos: será que realmente ninguém se importa?

Agora, vamos fazer um exercício.

Faça uma lista:

Quem são as pessoas de quem você gostaria de ouvir a pergunta “você está bem?”
Quem são as pessoas para quem você realmente estaria disposto a se abrir?

Reflita: Por que você estaria disposto a se abrir com essas pessoas e não com outras? Você já conversou com essas pessoas sobre como você se sente?




Tenha a consciência de que depois de se abrir para uma pessoa, muito do que ela pode oferecer depois de ouvir seu problema são falas como “você tem que ser forte”, “não fique assim”, “vai ficar tudo bem” etc. Para algumas pessoas esse tipo de fala pode trazer algum conforto e esperança, para outras pode trazer maior incômodo e elas podem reagir com um “você fala isso porque não é com você”.

Por isso, antes de se abrir com uma pessoa, reflita: Qual sua expectativa em relação ao apoio que essa pessoa pode oferecer? Ela pode de fato oferecer alguma ajuda significativa? Qual?

Tenha a consciência também de que, ao ouvir seu problema, a outra pessoa nem sempre sabe como agir para te ajudar, e ela pode se sentir desconfortável quanto a isso. Saiba que um convite para um passeio, para tomar um açaí, ou para assistir um filme também é uma forma dela se preocupar com você.

Se você tem em mente alguém com quem você estaria disposto a se abrir, mas ainda não encontrou meios adequados de fazer isso, que tal escrever uma carta ou mandar uma mensagem ao invés de falar. Para muitas pessoas, escrever é uma maneira mais confortável de falar sobre os sentimentos. Se você sabe como aquela pessoa pode te ajudar, seja objetivo e aponte isso também na mensagem. Se você não sabe como ela pode te ajudar, então seria legal acrescentar: “...não tem muito o que você possa fazer quanto a isso no momento, eu só queria me abrir para você e contar com sua paciência”.



Para quem quer oferecer ajuda


Como perguntar se a pessoa está bem?

Agora você sabe que a pergunta “você está bem?” pode ser desconfortável. Então, antes de fazê-la, reflita: você realmente se preocupa em saber como a pessoa está? Você acha que pode fazer alguma coisa para ajudá-la?

Se você realmente está disposto a ajudar, antes de iniciar uma conversa com um amigo que não está bem, veja se vocês estão em local apropriado. O corredor de uma escola durante o intervalo de uma aula talvez não seja o local mais adequado para escutar e oferecer ajuda para os problemas do amigo.

Estando em local apropriado, para conversar com um amigo ou familiar, evitando a pergunta “você está bem?” e ainda assim demonstrar preocupação e/ou trazer motivação e esperança para a pessoa você pode dizer:

1. Acho que você não está bem ultimamente, mas não sei exatamente como posso ajudar. Mas eu queria dizer que...
...você não está sozinha!
...estou aqui se você precisar.
...se eu puder ajudar em alguma coisa, me avise!

2. Talvez eu não consiga entender exatamente como você se sente, mas eu me preocupo com e quero ajudar.

3. Você não tem aparecido aqui ultimamente. Aconteceu alguma coisa?

4. O que você anda fazendo?

5. O que você tem pensado ultimamente?

6. Seja como for, estou aqui para ouvir e ajudar.

7. Fiquei preocupado com você, há alguma coisa que você gostaria de falar?

8. Recentemente, notei que você tem andado diferente e me perguntei se aconteceu alguma coisa.

9. Você é muito importante para mim!

10. Quer dar um passeio? Eu adoraria sair um pouco hoje!

11. Você sempre foi muito bom em __________. Você poderia me ajudar numa atividade?

12. Vou estar em casa sozinha essa noite assistindo Netflix. Não quer ir lá comigo? Ou podemos ir na sua casa também.

13. Que bom que você veio à aula hoje!

14. Eu estava pensando em você hoje! Você se lembra daquele dia que nós ___________.

15. Eu vi o que você fez _________. Ficou muito bom!



E lembre-se, está tudo bem se a pessoa não quiser falar dos problemas dela, o importante é, mais do que falar, você demonstrar que ela pode contar com você!