11 Motivos para as crianças brincarem de AMARELINHA


Brincadeira simples e tradicional em muitos países, a amarelinha pode ajudar as crianças a desenvolverem muitas habilidades não só do corpo, mas também cognitivas e sociais.

Menino brincando de pular amarelinha



1. SALTO = FORÇA MUSCULAR

Saltar é o que as crianças mais fazem brincando de amarelinha. À medida que o jogo avança, muitas vezes é necessário que as crianças avancem ao longo de dois ou mais espaços ao mesmo tempo. O salto exige da criança muita força muscular. A força constrói resistência física é claro, mas, além disso, quando as crianças pequenas se esforçam para novos desafios físicos, o cérebro está gravando essas sensações e se preparando para enfrentar desafios ainda maiores em outras áreas da vida e aprendizagem.


2. UM PÉ SÓ = CONSCIÊNCIA CORPORAL

Pode até não parecer, mas saltar com apenas um pé é um dos movimentos mais complexos que o corpo humano pode realizar. O movimento homolateral, ou seja, apenas com um lado do corpo se movendo enquanto o outro lado permanece imóvel, exige das crianças habilidades avançadas de coordenação motora, equilíbrio e controle cognitivo. A prática do movimento leva a criança naturalmente a conhecer e diferenciar lado direito e lado esquerdo, estabelecendo as bases para a integração das funções laterais do cérebro. À medida que a criança refina sua coordenação física, ela também está construindo caminhos neurais essenciais para outras tarefas cognitivas que serão demandadas ao longo da vida.


3. NÃO PISE NA LINHA! = CONTROLE DO CORPO

As regras proporcionam desafios que tornam os jogos mais divertidos! Saltar não é lá tão difícil, mas quando você não pode pisar no lugar errado, aí talvez você deva se esforçar um pouco mais. A amarelinha ajuda as crianças no desenvolvimento do autocontrole -- elas devem saltar e parar no lugar certo, o que exige planejamento e controle deliberado do corpo.


4. VAI, PARE, VAI DE NOVO! = RITMO CORPORAL

Para se sair bem no jogo, você deve entrar em um ritmo regular. A amarelinha oferece oportunidade para a prática do salto, o que ajuda as crianças a encontrarem seu ritmo. Mas, mais do que isso, as regras do jogo exigem que você pare de saltar, faça outra coisa e comece de novo. E essa é a melhor prática de todos para o desenvolvimento do ritmo. Ritmo corporal ajuda a desenvolver toda uma série de habilidades e capacidades que se estendem além do movimento motor -- por exemplo, na aquisição da linguagem e construção de memórias.


5. SALTE, PARE, GIRE, ABAIXE, PEGUE, SALTE... =  EQUILÍBRIO

Uma rodada de jogo na amarelinha envolve uma série de movimentos: lançar a pedrinha (ou outro objeto), saltar, aterrissar, saltar de novo, parar, girar, se curvar para pegar a pedrinha, saltar de novo... Tudo isso exige muito equilíbrio, principalmente quando é feito sobre apenas um dos pés. O equilíbrio é um elemento fundamental para todos os movimentos físicos e também para o desenvolvimento cognitivo, emocional e social. A amarelinha é uma atividade ideal para desafiar o senso de equilíbrio e orientação das crianças.


6. AS CASINHAS = NOÇÃO ESPACIAL

As linhas riscadas no chão delimitam os espaços que determinam o campo de jogo, definem as regras e apresentam o desafio para as crianças. Há momentos em que limites espaciais, ou mesmo morais, são necessários para ajudar as crianças a desenvolver habilidades como organização e consciência espacial. A consciência espacial é a capacidade de estar ciente de si mesmo no espaço e também de sua relação com outros objetos ao entorno, e como essas posições podem ser afetadas pelos movimentos dos corpos. Quando uma criança está desenvolvendo sua consciência espacial, eles começam a tomar consciência de sua posição em relação às coisas ao seu redor e aprendem conceitos como distância, velocidade e colocação (sobre, abaixo, frente, lado, trás, etc.). A disposição espacial das casinhas também permite que a criança aprenda a sequência numérica e estabeleça relações e comparações entre as casas.


7. LANÇANDO AS PEDRINHAS = COORDENAÇÃO VISUO-MOTORA

O jogo começa com o lançamento de uma pedrinha, ou outro objeto, sobre oS espaços desenhados no chão. Até que você tenha lançado a pedra na casinha certa, você não pode seguir o jogo. A amarelinha exige naturalmente que a criança se esforce em coordenar o que ela está vendo (a casinha que deve ser alcançada) com o movimento do corpo (o lançamento da pedrinha). Este movimento simples é um teste da capacidade da criança ver um alvo com seus olhos e traduzir essa informação visual para o movimento do braço e mão, planejando a trajetória e a força necessária para alcançar o alvo. Como o alvo muda a cada rodada, cada vez mais longe, a criança é desafiada a fazer pequenos ajustes para ter precisão. A coordenação visuo-motora é uma das habilidades mais importantes para o desenvolvimento da linguagem escrita.


8. PEGANDO AS PEDRINHAS = CONTROLE MOTOR FINO

Depois de lançar a pedrinha e saltar pelas casas, a criança deve se curvar ao chão para recolher de volta a pedrinha. A tarefa deve ser realizada em toda rodada, e fica mais difícil quando realizada com um pé só apoiado no chão. Esticando o braço, a criança deve ter um controle delicado dos músculos do dedo para alcançar e recuperar sua pedrinha, exigindo muito controle e concentração do corpo. Chamamos o controle delicado dos músculos da mão de controle motor fino, uma habilidade importante também para o manuseio do lápis e outros objetos.


9. ESTRATÉGIA = PLANEJAMENTO E SEQUÊNCIA

Porque a organização espacial do jogo muda em cada rodada, as crianças sempre têm que descobrir como eles vão executar as tarefas. O planejamento e a estratégia são habilidades ao longo da vida aprendidas através do jogo. Mas, ao contrário dos jogos de tabuleiro sedentários, a amarelinha permite que as crianças realizem fisicamente seu plano enquanto adaptam suas estratégias de acordo com seus ganhos ou fracassos.


10. ESPERANDO SUA VEZ = DESENVOLVIMENTO SOCIAL

Como muitos jogos em grupo, a amarelinha é um ensaio social para as crianças. As regras simples e repetitivas tornam mais fácil para as crianças aprenderem, brincar e ficarem envolvidas na atividade. Neste jogo social, elas constantemente têm que relacionar seus comportamentos com os dos colegas que estão brincando juntos, o que inclui saber esperar sua vez de jogar enquanto está na vez do outro. As amizades começam nos campos de jogos porque as experiências sociais infantis criam o cenário para aprender sobre os relacionamentos entre pares.


11. GANHAR E PERDER = DESENVOLVIMENTO DO CARÁTER

Quando a competição amistosa é introduzida nos momentos de brincadeira, as crianças naturalmente se empenham para fazer seu melhor. O impulso humano natural para ter sucesso é todo o incentivo que eles precisam para tentar de novo e de novo. Mas, como em muitas atividades em que nos engajamos ao longo da vida, nem sempre temos o desempenho perfeito. Quando as crianças desenvolvem um bom espírito esportivo, estão desenvolvendo as habilidades e atitudes que eles precisarão para uma caminhada bem equilibrada na vida, sendo capaz de tolerar frustrações e não se exceder nos momentos de orgulho. Afinal, ganhar é sempre bom, mas perder constrói caráter.