Mais positivo do que negativo, dizem pesquisadores sobre associação entre uso de redes sociais e habilidades de escrita

Adolescente usando tablet


O uso cada vez mais frequente de smartphones e tablets está prejudicando a escrita das novas gerações?

Muita gente acredita que o uso de tecnologia tem trazido muitos prejuízos para leitura e escrita dos alunos, afinal eles passam grande parte do tempo com a cara na tela e não se interessam por livros ou em escrever diários, cartas ou bilhetes.
 
Por outro lado, há aqueles que pensam o contrário: nunca antes na história os jovens  escreveram e leram tanto como hoje em dia! Afinal, eles passam grande parte do tempo mandando mensagens para amigos em grupos no whatsapp, lendo textos, mesmo que curtos, nas redes sociais, interagindo com colegas pelo chat de games, comentando em vídeos no YouTube, lendo tweets de influenciadores etc.
 
Afinal de contas, a tecnologia está sendo prejudicial ou benéfica para o desenvolvimento de habilidade de leitura e escrita das crianças e adolescentes?
 
Uma pesquisa realizada na Alemanha recentemente avaliou como o uso de mídias sociais tem impactado na escrita de jovens em suas atividades escolares. Mais de 400 adolescentes e jovens adultos participaram do estudo.
 
O resultado mostrou mais associações positivas do que negativas no uso de tecnologia em relação a habilidades de escrita.
 
Segundo os autores, o envolvimento passivo no consumo de mídias sociais pode sim prejudicar as habilidades de escrita, mas a produção ativa de textos, desde a infância, por meio de diferentes plataformas, com públicos e por meios diferentes, incluindo trocas de mensagens por chats e aplicativos de conversa, podem ajudar a desenvolver habilidades de escrita.
 
Do lado negativo, os pesquisadores observaram que os jovens mais “viciados” em redes sociais foram os que produziram textos de pior qualidade nas tarefas escolares.
 
É importante lembrar, entretanto, que o uso de telefone e redes sociais, não são as únicas variáveis a se levar em conta ao avaliar o desempenho de crianças e adolescentes em tarefas escolares, seja de leitura ou escrita. Há muito mais coisa em jogo, e sem estímulos e condições adequadas de aprendizagem, não são aparelhos eletrônicos que farão a diferença.


 
Compartilhar no WhatsApp


Compartilhar no Facebook


 
Referência bibliográfica:
 
Verheijen, Spooren, e van Kemenade (2020). Relationships between Dutch Youths’ Social Media Use and School Writing. Computers and Composition, publicação online.