Por que Escrever à Mão ainda é importante para as crianças

A importância da caligrafia para o desenvolvimento motor e cognitivo


No mundo digital, com crescente integração de dispositivos eletrônicos em nossas atividades diárias, as crianças ainda precisam aprender a escrever à mão?

Apesar da tendência atual de desvalorização da escrita à mão, como uma habilidade não mais necessária na Era Digital, muitas pesquisas recentes apontam para a importância da escrita à mão no desenvolvimento de diversas habilidades nas crianças.


"Não é só pela letra bonita, escrever à mão desenvolve o cérebro", dizem pesquisadores.

Menino escrevendo com lápis no papel.



Ler e escrever são aptidões essenciais em nossa cultura e são importantes pré-requisitos para o sucesso na vida escolar ou profissional. Por centenas de anos, a escrita à mão foi, não só importante, mas o modo predominante de escrita.

Entretanto, nos últimos anos, o hábito de escrita tem sido objeto de uma mudança drástica: a escrita digital associada ao uso de computadores, tablets e smartphones têm substituído a escrita à mão.

Todos nós, frequentemente "teclamos" em nossos dispositivos eletrônicos para produzir mensagens, comunicados, dissertações ou para tomar notas durante nossas atividades diárias. A presença de tecnologias digitais em nossas casas influencia também como as crianças adquirem e desenvolvem a linguagem escrita.

"Muitas crianças hoje têm suas primeiras experiências de escrita através de dispositivos eletrônicos, muito antes de dominar a escrita à mão."


Entretanto, pesquisas nos últimos anos têm mostrado que escrever à mão ainda é uma atividade importante e necessária para o desenvolvimento da criança.


A importância da escrita no desenvolvimento neurocognitivo


Escrever à mão é importante não apenas para produção de letras bonitas. Durante esse exercício, usamos áreas motoras do nosso cérebro, como área de planejamento e controle motor, áreas perceptivas visuais e áreas associadas com o processamento da linguagem. Tudo trabalhando em conjunto.

A escrita manual requer a reprodução cuidadosa da forma de cada letra, enquanto que a escrita em aplicativos ou teclado não está relacionada com a forma da letra e, como resultado, nenhum atividade grafo-motora está associada. Além disso, com o uso do teclado digital, não são providas estimulações sensoriais diversificadas como quando comparamos com o uso do lápis ou caneta e papel na escrita à mão.

Exames funcionais do cérebro mostram que a rede neuronal ativada durante a leitura inclui áreas relacionadas a processos motores. Isso sugere que o processo cognitivo de leitura também está conectado ao processamento motor de formação das letras. A digitação em teclados, por meio de aparelhos eletrônicos, parece não ativar as mesmas áreas.

Habilidades sensório-motora, grafo-motora e viso-motora, coordenação motora fina e processamento visuo-espacial são algumas das aptidões desenvolvidas com a prática da escrita à mão.


Menino escrevendo à mão com lápis no papel.


Escrever à mão também contribui no desenvolvimento da habilidade de leitura. A escrita manual estimula a criança a prestar mais atenção na linguagem escrita, o que leva a um melhor reconhecimento de palavras e conhecimento lexical. A escrita à mão também confere benefícios tanto na ortografia das palavras quanto na composição das frases e parágrafos.

A escrita à mão também está associada a um bom desempenho acadêmico. Em longo prazo, crianças que tiveram boas experiências com a prática de escrita à mão tendem a obter melhores notas e alcançar bons resultados na educação básica e superior.

   

Escrever à mão ajuda a memória


As crianças não só aprendem a ler mais rápido quando aprendem a escrever com a mão, mas elas também se tornam mais habilidosas em gerar ideias e reter informação.

Mesmo em estudantes universitários, aqueles que tomam notas escrevendo em teclados são menos propensos a se lembrar do conteúdo do que aqueles que escrevem à mão. Isso acontece porque na tomada de notas usando o teclado, o processamento cerebral envolvido é muito superficial, insuficiente para compor a rede de memórias necessária para evocar o conteúdo posteriormente.


Escrita híbrida


O que é defendido pelos pesquisadores é que as crianças sejam escritores híbridos. O mundo digital não pode acabar com experiências significativas que podem ter impactos reais no desenvolvimento cerebral das crianças. Começando com a escrita à mão, a criança pode, progressivamente, avançar para a escrita digitada. Ambas as formas de escrita são importantes!







Para saber mais:

VINCI-BOOHER et al. Visual-motor functional connectivity in preschool children emerges after handwriting experience. Trends in Neuroscience and Education, 2016.

KIEFER et al. Handwriting or Typewriting? The Influence of Pen- or Keyboard-Based Writing Training on Reading and Writing Performance in Preschool Children. Advances in Cognitive Psychology, 2015.

DINEHART, L. Handwriting in early childhood education: Current research and future implications. Journal of Early Childhood Literacy, 2014.

MUELLER e OPPENHEIMER. The Pen is Mightier than the Keyboard: Advantages of Longhand over Laptop Note Taking. Psychological Science, 2014.

JAMES e ENGELHARDT. The effects of handwriting experience on functional brain development in pre-literate children. Trends in Neuroscience and Education, 2012.

PURANIK e ALOTAIBA. Examining the contribution of handwriting and spelling to written expression in kindergarten children. Reading and Writing, 2012.