5 Dicas para conversar com seus filhos sobre política e eleição


Conversas sobre política com os filhos pode não parecer natural e muitos pais evitam tê-las. Mas, como responsáveis pela construção do espírito crítico das próximas gerações de eleitores, é dever dos pais e educadores encorajar as crianças a entender como funciona e participar dessa tal de política.

Conversar sobre política é um exercício de cidadania. A cada dois anos, temos a oportunidade de aproveitar o movimento em torno das eleições para tratarmos do assunto com as crianças, em casa ou na escola.



Veja algumas sugestões que podem te orientar nesse processo:

#1. Comece com questões


Ouça o que seu filho tem a dizer sobre política. Uma boa estratégia para início de conversa é perguntar o que a criança sabe sobre as eleições "o que você tem escutado sobre as eleições” ou “...sobre a política?"

Você pode se surpreender com as respostas. Crianças e adolescentes têm contato frequente com discussões e temas importantes da política na TV, nas redes sociais, na escola ou até mesmo ouvindo conversas de adultos. Faça também perguntas mais específicas, questionando se ela sabe como o sistema político está organizado e se ela se lembra do nome de algum político e o cargo que ele ocupa.

Para crianças menores, citar as regras de um jogo, ou os combinados da casa ou da escola pode servir para ilustrar "o que é política".



#2. Converse sobre valores


A eleição é uma boa oportunidade para discutir sobre o que é importante para você e sua família. Lembre-se, você não precisa usar o termo “política” para falar sobre política. Você pode, simplesmente, iniciar uma discussão sobre um tema importante para sua família.

Uma coisa é conversar sobre os valores familiares na mesa do jantar, outra coisa é ver esses valores sendo representados em debates nas casas legislativas ou implicados em políticas públicas. Mostre para as crianças como que aquilo que você acredita determina suas escolhas na hora do voto. Assim você mostra que a política não está tão distante de nosso cotidiano.

É importante também saber ouvir a criança, pois ela pode apresentar argumentos diferentes dos seus, de acordo com o que ela tem experienciado na escola ou em outros espaços.


#3. Evite problemas fora de casa


Diz um ditado popular que política, futebol e religião não se discutem. Essa advertência ilustra o fato de que nem sempre é saudável discutir esses temas com qualquer pessoa ou em qualquer espaço. Uma criança ou adolescente pode enfrentar fortes objeções ao tentar colocar sua opinião em espaços fora da segurança do lar. Imagine, por exemplo, seu filho discutindo com o pai de um colega na casa dele porque contrariou os valores daquela família.

Os pais devem orientar os filhos sobre os momentos corretos de se expressar e a importância de ouvir opiniões contrárias, preservando os valores familiares, mas aberto a novas ideias.

"Nós todos temos amigos que votam diferente de nós. É importante tratarmos todas as pessoas com respeito e lembrar que podemos continuar sendo mesmo com uma visão política deferente."

Ideias podem ser discutidas, mas respeito não é negociável - deve existir sempre! À medida que cresce e se torna politicamente mais maduro, o adolescente, assumindo responsabilidade pelos seus atos, pode então assumir suas posições dentro de um debate.


#4. Não seja um mau exemplo


Além de ser um exemplo de respeito, os pais devem evitar dizer frases como "eu não ligo muito para política". As crianças têm os adultos como modelos e costumam repetir as coisas que ouvem. Política não pode ser pensada como algo distante que pouco nos afeta. Nossas relações diárias com os outros membros da nossa comunidade faz parte da micropolítica. Por outro lado, a macropolítica que vemos na TV e internet, embora possa parecer longe, tem implicações diretas no nosso modo de vida. Mostre para as crianças a importância da participação política para a construção de uma sociedade melhor para nós e para os outros.

  

#5. Mantenha o diálogo aberto


Eleições ocorrem a cada dois anos. Política é todo dia. Esteja sempre aberto ao diálogo e pronto para conversar com as crianças quantas vezes forem necessárias. Aproveite tópicos importantes da política nacional para discuti-los com os filhos.

Alguns temas em destaque atualmente são: corrupção e operação lava-jato, projeto de lei “Escola sem Partido”, aborto e porte de arma.