O poder da Voz Materna


Nova pesquisa mostrou como a voz da mãe ajuda a regulação do sono de bebês recém-nascidos.

O estudo foi realizado em UTI neonatal. Apesar do silêncio das pessoas que frequentam o local, qualquer um que já frequentou uma UTI conhece a incômoda sinfonia de aparelhos apitando criando um estressante ruído que nunca tem fim.


Esse ruído é um grande problema nas UTIs neonatais, pois desregula o sono dos bebês e, consequentemente, desregula toda fisiologia da criança, atrapalhando sua recuperação e desenvolvimento sadio, principalmente dos prematuros.

É por isso que um estudo recentemente publicado na revista científica Pediatrics é importante. Esta é a primeira vez que a exposição à voz da mãe é vista como uma forma de regular o sono e o desenvolvimento neonatal.

As mães foram gravadas enquanto liam livros infantis e, em seguida, essa gravação foi tocada por 6 horas para o bebê. Os pesquisadores descobriram que, apesar da voz da mãe ter aumentado a quantidade de barulhos no ambiente, os bebês dormiram bem melhor quando as gravações estavam sendo reproduzidas. A diferença no sono não era grande, mas as gravações de voz pareciam ajudar o bebê a continuar dormindo mesmo quando os ruídos na sala ficavam muito altos.

Além disso, o estudo também mostrou que os bebês acordavam melhor e ficavam mais atentos quando ouviam as gravações, como se estivessem sintonizados com a linguagem falada.

Mas o estudo também nos deixa com uma pergunta: por que eles examinaram as vozes das mães e não os pais?

Talvez se pensasse que os bebês normalmente ouvem a voz de sua mãe durante o dia enquanto estão no útero. Existe também a possibilidade de isso ter ocorrido devido a um ponto cego causado pelas expectativas culturais em torno da maternidade? O mito da maternidade nos leva a acreditar que as mães são simplesmente mais importantes para os filhos e que os pais não têm as habilidades necessárias para cuidar adequadamente de bebês. No entanto, há boas razões para acreditar que essas crenças simplesmente não são verdadeiras. Seria maravilhoso ver um ensaio com gravações digitais da voz de um pai em estudos futuros.


Para saber mais:
Renée A. Shellhaas, Joseph W. Burns, et. al. (2019) "Maternal Voice and Infant Sleep in the Neonatal Intensive Care Unit." Pediatrics.