Essas são as palavras mais usadas em encaminhamentos de crianças para psicologia

Menino com dificuldade escolar encaminhado para psicologia


Você sabe quais são os termos mais utilizados em encaminhamentos de crianças de escolas para serviços especializados em saúde mental, mais especificamente para o profissional de psicologia?

Uma pesquisa em uma cidade do interior de São Paulo nos dá uma amostra para a resposta. O levantamento foi parte de um estudo do programa de pós-graduação em psicologia da UNESP, publicado em 2018. Por meio de verificação de repetição de termos, foram elencadas palavras-chave constantes que representam o motivo expresso dos encaminhamentos dos escolares aos serviços de saúde mental, conforme constava nos prontuários.

Veja a lista:


  1. agressividade;
  2. dificuldade de concentração na escola;
  3. dificuldade de aprendizagem;
  4. agitado;
  5. inquieto;
  6. dificuldade de lidar com regras;
  7. déficit de atenção,
  8. chora muito;
  9. lentidão;
  10. problemas de comportamento na escola;
  11. ansiedade;
  12. desatenção em aula;
  13. nervosismo;
  14. problemas de relacionamento,
  15. conversa demais,
  16. alteração de humor e comportamento,
  17. agitação do sono,
  18. dificuldade para dormir,
  19. tique motor;
  20. dificuldade de interação;
  21. auto-agressividade;
  22. baixo rendimento escolar;
  23. comportamento opositor;
  24. desobediente;
  25. dificuldades na escola;
  26. distração;
  27. falta de limites;
  28. fechado;
  29. recusa em ir para a escola;
  30. dificuldades com cálculos e números;
  31. impaciente;
  32. histórico de violência familiar;
  33. preocupação com terceiros;
  34. expectador diante de conflitos;
  35. introspecção;
  36. alucinações auditivas e visuais;
  37. insônia;
  38. vergonha;
  39. rebeldia;
  40. labilidade emocional;
  41. irritabilidade;
  42. esquecimento;
  43. baixa concentração;
  44. comportamento distante;
  45. muito ativo;
  46. medo;
  47. sintomas de asperger;
  48. angústia;
  49. traços obsessivos compulsivos;
  50. dificuldade de entender comandos;
  51. enurese noturna;
  52. dificuldade de organizar pertences escolares;
  53. mentira;
  54. dificuldade quando contrariado;
  55. crises de ciúmes;
  56. dificuldade de relacionamento com mãe;
  57. estresse;
  58. ecoprese;
  59. tristeza;
  60. isolamento;
  61. dissimulação;
  62. não assume o que faz;
  63. TDAH;
  64. gagueira;
  65. quieto;
  66. implicante;
  67. convivência conflituosa;
  68. baixa tolerância a frustração;
  69. comportamento disruptivo;
  70. birra;
  71. desligado;
  72. dificuldade com a escrita;
  73. falta de entusiasmo, comprometimento e empenho;
  74. comportamento imaturo;
  75. baixa auto-estima;
  76. dificuldade de expressar-se;
  77. somatização.


Fonte: ANDRADE, Jessica. Queixa escolar e o público infanto juvenil: práticas contemporâneas de psicologia nos serviços de saúde. UNESP: Assis,  2018. Dissertação de Mestrado.