Não são os “games violentos” que farão de seu filho uma pessoa violenta, diz novo relatório da APA

A violência é uma questão complexa que decorre de vários fatores, dizem especialistas.



É difícil encontrar uma criança que não esteja familiarizada com os "jogos eletrônicos" hoje em dia. Dentre eles, se tornaram muito populares os games que retratam formas de violência, principalmente os que envolvem armas de fogo, como Fortnite e Free Fire.

Neste cenário, muitos pais e educadores preocupados podem ser levados a acreditar que isso pode fazer com que seus filhos e alunos exibam um comportamento violento.

No entanto, a Associação Americana de Psicologia (APA) reforçou recentemente em um novo relatório que não há evidências suficientes para apoiar um "elo causal entre videogames violentos e comportamentos violentos graves". O relatório publicado na última semana diz que as pesquisas em comportamento humano não têm encontrado evidência que comprovem que jogos eletrônicos violentos sejam a causa de comportamento violento.


Para elaborar o relatório, a associação reuniu uma  força-tarefa depois que políticos e membros da mídia declararam em várias ocasiões que os videogames violentos são a causa dos comportamentos violentos, incluindo episódios de tiroteio em escolas nos últimos anos.

"A violência é um problema social complexo que provavelmente decorre de muitos fatores que merecem atenção de pesquisadores, políticos e do público em geral", disse a presidente da Associação. “Atribuir a violência aos videogames não é cientificamente correto e afasta a atenção de outros fatores, como uma história familiar de violência, que sabemos a partir da pesquisas que é um importante preditor de comportamento violento no futuro”.

Em seu relatório, a força-tarefa também aponta que está ciente do debate em andamento sobre os efeitos dos videogames violentos e como esses efeitos podem se traduzir na vida real. E reiteram: pesquisadores continuam estudando os efeitos dos videogames e outras mídias nas crianças e incentivando a indústria a projetar jogos com controle parental adequado e cientistas do comportamento humano continuarão a trabalhar em estreita colaboração com educadores e líderes escolares para aumentar a conscientização sobre esse assunto que possa estar preocupando muitos pais.


Para saber mais:


American Psychological Association (APA). APA Reaffirms Position on Violent Video Games and Violent Behavior. March 3, 2020. Disponível em: https://www.apa.org/news/press/releases/2020/03/violent-video-games-behavior






Compartilhar no WhatsApp