Desconfiança com ensino online muda entre pais da Educação Infantil ao Ensino Médio, aponta pesquisa

Para jovens no Ensino Médio pode funcionar, mas na Educação Infantil a maioria dos pais é contrária.

Pesquisa mostra satisfação de pais com aula online durante pandemia
Gráfico mostra quantas famílias não confiam no processo de educação online por segmento da educação.


Pesquisa realizada pela agência LeFil aponta que muitos pais não estão confiantes com o processo de educação online para os filhos. Em geral, mais da metade não está satisfeita com a forma como o processo tem sido conduzido pelas instituições de ensino.

Entretanto, os dados variam de acordo com o segmento de educação.

A pesquisa realizada principalmente com familiares de crianças da rede provada, mostra que para a Educação Infantil, 78% das famílias estão descrentes com ensino online. Por outro lado, quando se trata do Ensino médio o cenário é quase o inverso: 75% dos entrevistados acreditam que vai funcionar!

O que mais tem causado desconforto para os pais é que a nova forma de ensino demanda a presença constante dos pais ao lado dos filhos durante o processo. Quanto menor a criança, mais necessário o acompanhamento de adultos. Segundo a pesquisa, 82% das famílias entrevistadas dizem que o processo de aula online vai exigir que os pais se dediquem a estarem com seus filhos.

Segundo a psicóloga Beneria Donato em publicação nas redes sociais, precisamos aprender a enfrentar a crise: "Já ficou claro que enfrentar dificuldades e vivenciar esse momento difícil gera desconfortos e incertezas. Mas evidenciamos oportunidade de amadurecer e aprender em conjunto. Portanto, acredito que a experiência de alguns dias realizando aulas online não será perda de tempo.”

É preciso lembrar que estamos vivendo um momento de transformação. Não existe lado certo e lado errado. Novas informações ainda estão sendo assimiladas e pouco a pouco serão acomodadas em um novo jeito de fazer educação.

Não é uma guerra entre escola e família, pais e professores. Nem disputa entre o certo e o errado. Mas sim um debate necessário para o momento — cada lado mostra o que está dando certo e o que pode ser melhorado. Cada um sabe dos próprios sacrifícios e esforços investidos nessa missão. No fim, o objetivo é o mesmo: educação de qualidade!



Compartilhar no WhatsApp


Compartilhar no Facebook