Crianças pré-escolares que passam mais tempo brincando com o pai tem mais autocontrole do comportamento e das emoções

menino brincando com o pai se divertindo

O tempo investido em brincadeiras com os pais parece trazer boas consequências para os filhos, segundo estudo publicado recentemente na revista científica ‘Developmental Review’.

A participação de pais e mães no desenvolvimento de autocontrole dos filhos em geral é semelhante, mas o estudo sugere que os pais geralmente se envolvem em atividades mais físicas com os filhos pequenos, como correr, jogar bola e pedalar. Essas atividades parecem contribuir para que as crianças desenvolvam melhor regulação de suas emoções e de seu comportamento ao longo da infância.

"A brincadeira cria situações divertidas e emocionantes nas quais as crianças precisam aplicar a autorregulação. Você pode ter que controlar sua força, aprender arremessar objetos na distância certa, ou talvez seu pai pise no seu pé por acidente e você se sinta zangado! É um ambiente seguro no qual as crianças podem praticar como reagir. Se reagirem da maneira errada, podem ser corrigidas e da próxima vez elas se lembrarão de se comportar de maneira diferente", diz um dos autores do estudo.



Compartilhar no WhatsApp


Compartilhar no Facebook



FONTE: Annabel Amodia-Bidakowska, Ciara Laverty, Paul G. Ramchandani (2020). Father-child play: A systematic review of its frequency, characteristics and potential impact on children’s development. Developmental Review, publicação online.