Poucos estudantes se beneficiam com tarefas para casa, conclui pesquisa

Menino consultando internet para fazer tarefa para casa

Poucos estudantes se beneficiam com tarefas para casa. Essa foi a conclusão de uma pesquisa publicada recentemente na revista científica Educational Psychology.

Segundo os pesquisadores, o problema não é exatamente a tarefa, mas como os alunos têm feito a atividade: a maioria simplesmente copia de outras fontes.

Os alunos que fazem o “para casa” podem ser divididos em dois grupos, de acordo com a estratégia que adotam para fazer os exercícios: o grupo dos copiadores e o grupo dos geradores de resposta. 

Os alunos com melhores notas em provas comumente são aqueles que, ao fazer o "para casa", se esforçam em produzir suas próprias respostas raciocinando sobre o conteúdo estudado — são os alunos geradores.

Os alunos copiadores acertam muitas questões no "para casa". Na verdade, o número de acertos desses costuma ser até maior do que dos alunos geradores. Mas, quando o mesmo conteúdo é cobrado em provas, o desempenho é péssimo.

Respostas copiadas não fazem parte de uma aprendizagem de longo-prazo, dizem os autores da pesquisa. Para piorar, nos últimos anos tem crescido o número de alunos copiadores por causa do aumento do uso de smartphones que provê opções de fácil acesso para consultas na internet.



Compartilhar no WhatsApp


Compartilhar no Facebook




Referência:

Glass e Kang (2020). Fewer students are benefiting from doing their homework: an eleven-year study. Educational Psychology, publicação online.