Alfabetização: ensinar diretamente os sons das letras é um método muito mais eficaz, conclui estudo recente

Professora ensinando criança a ler com método fônico

Mais um estudo coloca peso na balança do debate entre os métodos de alfabetização. Um estudo publicado este ano no periódico científico Psychological Science comparou a eficácia de duas diferentes estratégias de ensino de leitura: o método de descoberta natural pela experiência e a instrução explícita da relação letra-som.

O estudo foi realizado com adultos que foram ensinados a ler uma nova linguagem impressa em símbolos desconhecidos, em um treino intensivo de duas semanas.

Enquanto um grupo aprendia as regularidades entre a ortografia e o som apenas através da experiência de leitura com palavras novas — ou seja, eles deveriam “descobrir” por conta própria essas regularidades—, o outro grupo recebia instruções direta das regularidades entre letras e sons.

Após o período de treinamento, os dois grupos fizeram testes de leitura para avaliar o quão bem eles haviam aprendido o novo idioma. Os resultados mostraram diferenças notáveis.


“Praticamente todos os alunos que receberam instruções explícitas foram capazes de ler”


No final das duas semanas, praticamente todos os alunos que receberam instruções explícitas foram capazes de ler palavras impressas nos símbolos desconhecidos. Em contraste, menos de 25% dos "alunos descobridores" alcançaram o mesmo padrão e alguns mostraram um aprendizado muito baixo.

Segundo os autores do estudo, a pesquisa destaca a importância da instrução explícita para garantir que todos os alunos tenham a oportunidade de desenvolver fortes habilidades de leitura, sobretudo no momento atual que estamos vivendo no mundo todo, onde o fechamento prolongado de escolas e o ensino à distância devido à pandemia impuseram desafios únicos ao ensino e à alfabetização.

 

Referência:

Kathleen Rastle, Clare Lally, Matthew H. Davis, J. S. H. Taylor. The Dramatic Impact of Explicit Instruction on Learning to Read in a New Writing System. Psychological Science, 2021, publicação online.


Compartilhar no WhatsApp

Compartilhar no Facebook