Por que as crianças precisam de rotina?


Meninos brincando de bloco de montar em rotina escolar na Educação Infantil


Por que as crianças precisam de rotinas?

Porque as rotinas lhes dão sensação de segurança e as ajudam a desenvolver autodisciplina.

Os seres humanos têm medo de muitas coisas, inclusive do "desconhecido". O medo infantil do desconhecido inclui tudo, desde um novo vegetal que aparece no parto a uma grande mudança em sua vida, como a separação dos pais. Para o bem ou para o mal, as crianças são confrontadas com mudanças diariamente, o que é uma oportunidade de crescimento, mas também estressante.

A própria definição de crescer é que seus próprios corpos mudam constantemente sobre eles. Bebês e crianças desistem de chupetas, mamadeiras, seios, berços, sua posição como o bebê da casa. Novos professores e colegas de classe vêm e vão todos os anos. Eles enfrentam e aprendem novas habilidades e informações em um ritmo surpreendente, desde ler e atravessar a rua até o futebol e andar de bicicleta. Poucas crianças vivem na mesma casa durante toda a infância; a maioria se muda várias vezes, frequentemente para novas cidades e certamente para novos bairros e escolas.

E poucas dessas mudanças estão sob o controle da criança!

As crianças, como todos nós, lidam melhor com as mudanças, se forem esperadas e ocorrem no contexto de uma rotina familiar. Uma rotina previsível permite que as crianças se sintam seguras e desenvolvam um senso de domínio em suas vidas. À medida que esse senso de domínio é fortalecido, eles podem enfrentar mudanças maiores: caminhar sozinhos para a escola, pagar uma compra na loja, ir para um acampamento de férias.

Mudanças imprevisíveis corroem esse sentimento de segurança e domínio e deixam a criança se sentindo ansiosa e menos capaz de lidar com as vicissitudes de vida. Obviamente, muitas mudanças não podem ser evitadas. Mas é por isso que oferecemos às crianças uma rotina previsível como base de suas vidas - para que elas possam aproveitar a ocasião para lidar com grandes mudanças quando necessário.

Embora ajudar as crianças a se sentirem seguras e prontas para enfrentar novos desafios e tarefas de desenvolvimento seja motivo suficiente para oferecer-lhes estrutura, ela também tem outro papel importante no desenvolvimento. Estrutura e rotinas ensinam as crianças a gerenciar construtivamente a si mesmas e seus ambientes.

As crianças que vêm de lares caóticos, onde os pertences não são guardados, nunca aprendem que a vida pode correr mais tranquüila se as coisas forem organizadas um pouco. Em lares onde não há tempo ou espaço para fazer as tarefas, as crianças nunca aprendem a sentar-se para realizar uma tarefa desagradável. As crianças que não desenvolvem rotinas básicas de autocuidado, desde a higiene pessoal até a comida, podem achar difícil cuidar de si mesmas quando jovens. A estrutura nos permite internalizar hábitos construtivos.

Mas a rotina não pode destruir nosso senso de espontaneidade e criatividade?

Se for imposta de forma rígida, sem sensibilidade, sim. Há momentos em que as regras são feitas para serem quebradas, como ficar acordado até tarde para ver um eclipse ou deixar os pratos na pia para brincar com um amigo. Mas mesmo os artistas mais criativos começam dominando as convenções do passado e encontram o auge de sua expressão trabalhando dentro dos limites de regras específicas.

Não há razão para que a rotina tenha que ser opressiva. Pense nisso como seu amigo, oferecendo dicas de pequenas rotinas e hábitos que tornam a vida mais fácil e aconchegante. Seus filhos não apenas absorverão a segurança, mas também internalizarão a capacidade de estruturar suas próprias vidas.

Isso significa que os bebês devem ser colocados em rotinas o mais cedo possível?

NÃO! Bebês ainda não estão preparados para aprender uma rotina. Os bebês é que nos dizem o que precisam. Nós os alimentamos quando estão com fome, trocamos quando estão sujos. Com o tempo, eles vão se adaptando às rotinas da família. Mas forçar um bebê a se adaptar à nossa rotina não irá atender às suas necessidades. Se suas necessidades não forem atendidas, ele simplesmente sentirá como se o mundo fosse um lugar de privação e poderá desenvolver outros problemas.

À medida que a criança se move para a infância, ela estabelecerá sua própria rotina, estabelecendo uma espécie de cronograma. A maioria dos bebês se estabelece em um padrão bastante previsível. Podemos ajudá-los com isso estruturando nosso dia de acordo com as necessidades deles. Assim, por exemplo, garantimos que as condições sejam adequadas para a soneca na hora em que ele costuma dormir. Gradualmente, com o tempo, podemos responder ao seu horário natural de comer e dormir desenvolvendo uma rotina que funciona para ela e para toda a família.