O que é Dor Social? | Psicologia e Neurociências

Você sabia que o sentimento de ser rejeitado dói tanto quanto uma dor física?

O que é dor social, teoria de Eisenberger, Lieberman

Dor social é um conceito formulado no início dos anos 2000 pelos psicólogos e neurocientistas Naomi Eisenberger e Matthew Lieberman.

Segundo esses autores, o termo se refere a dor relacionada a ameaças às nossas conexões sociais, sejam essas ameaças reais ou potenciais. Ou seja, é a dor decorrente de perdas sociais, como luto, rejeição, separação, divórcio, isolamento, crítica, perda de oportunidades e todos tipos de eventos relacionados à exclusão social.

Situações em que emergem um sentimento de exclusão social são, por exemplo, quando um chefe faz uma avaliação negativa do funcionário; quando um idoso é abandonado pela família; ou quando apenas uma criança não é convidada para o aniversário de um colega da turma da escola. Situações de bullying também produz dor social mesmo quando não há agressão física.


Bullying e rejeição social machuca tanto quanto dor física


Dor física e dor social ocorrem na mesma parte do cérebro

Mais do que apontar as situações onde a dor social emerge, os autores sustentam a teoria de que os mecanismos neurais de dor social evoluíram a partir das mesmas estruturas cerebrais que a dor física, e se desenvolveram como forma de responder a uma necessidade biológica básica de apego social. Dessa forma, a dor social reflete o quanto nossas conexões sociais são importantes —  é um mecanismo de segurança que o cérebro desenvolveu para garantir que nos mantenhamos socialmente conectados a outras pessoas.


Ilustração mostra como o cérebro reage a tipos de dor


A teoria das bases neurais é sustentada a partir de diversas pesquisas de neuroimagem usando técnicas de fMRI (veja nas referências abaixo).

Além disso, eles afirmam que o sofrimento decorrente de eventos sociais é uma das vivências mais doloridas que o ser humano experimenta ao longo da vida. Quando você é requisitado a lembrar qual foi a pior “dor” de sua vida, geralmente as pessoas lembram de episódios relacionados a dor social, a perda de alguém, ou perda de emprego, por exemplo.


Referências:

Eisenberger, Lieberman e Williams (2003). Does Rejection Hurt? An fMRI Study of Social Exclusion. Science, 302(5643), 290–292.

Eisenberger, N. I., & Lieberman, M. D. (2004). Why rejection hurts: a common neural alarm system for physical and social pain. Trends in Cognitive Sciences, 8(7), 294–300.

Eisenberger, N. I. (2012). The Neural Bases of Social Pain. Psychosomatic Medicine, 74(2), 126–135.




Compartilhar no WhatsApp


Compartilhar no Facebook