“Quero, mas não posso!” – o que é o Adiamento de Gratificação?

Por Eduardo de Rezende
03 de julho de 2020

Menina querendo comer doce

O adiamento de gratificação, também conhecido como adiamento de recompensas, é entendido como a capacidade de postergar uma gratificação imediata e persistir em comportamentos orientados a um objetivo a longo prazo.

Um exemplo dessa habilidade é quando queremos comer um doce (gratificação imediata), mas controlamos essa vontade tendo em vista um objetivo a longo prazo (não engordar). Comer o doce traria uma sensação de prazer ou satisfação imediata, mas prejudicaria outros objetivos maiores. 

A capacidade de adiar gratificações é, portanto, compreendida como uma predileção individual na escolha de recompensas melhores e mais tardias frente à gratificação imediata, sendo necessária para guiar o comportamento na ausência de estímulos externos coercivos.

Desde pequenos, há um crescimento natural da capacidade em adiar recompensas nos seres humanos que pode ser explicado pelo desenvolvimento, durante a infância, de estratégias cognitivas orientadas a um objetivo, como autoverbalização, abstração, projeção temporal e controle da atenção.

Autoverbalização se refere ao autocontrole consciente sobre os impulsos através de pensamentos: “gostaria de comer esse doce, mas não o farei”.

O experimento mais conhecido para medir a capacidade de adiamento de gratificação é o famoso “Teste do Marshmallow” onde é apresentado um dilema envolvendo a escolha entre se satisfazer imediatamente ou postergar a gratificação em troca de um retorno superior àquele imediato.


Paciência e Autocontrole

Além da alimentação, outras situações que demandam habilidade de adiamento de gratificação no nosso dia a dia incluem: hábitos de estudo e trabalho, economia de dinheiro, controle de desejos sexuais, uso de jogos eletrônicos etc.

No senso comum, a capacidade de uma pessoa adiar a gratificação refere-se a conceitos bem conhecidos como paciência, controle de impulsos, autocontrole e força de vontade, todos processos envolvidos na autorregularão.

Em termos gerais, a autorregulação necessária para adiar uma gratificação abrange a capacidade de uma pessoa de se adaptar conforme necessário para atender às demandas sociais e do meio ambiente. Dessa forma, é essencial que seja dado às crianças oportunidades, seja em casa ou na escola, para que elas possam desenvolver essa habilidade.

A ciência tem mostrado nas últimas décadas que existe uma associação entre a capacidade de adiar gratificação a uma série de consequências positivas, incluindo sucesso acadêmico, saúde física, saúde mental e competência social. Ou seja, pessoas que conseguem desenvolver essas habilidades comumente são aquelas de melhor desempenho pessoal e social.



Compartilhar no WhatsApp


Compartilhar no Facebook