"Meu filho prefere ficar no telefone do que comer!" — Efeitos da privação de comida e smartphone em um grupo de estudantes


Após ficar horas privado de comida e de celular, você preferiria ter acesso a qual dos dois? Para um grupo de estudantes, a opção de usar o celular pareceu muito mais atrativa.
 
A constatação de que o uso de smartphone pode ser mais reforçador do que comida é o resultado de uma pesquisa recente que comparou o valor reforçador das duas opções em um grupo de jovens estudantes.
 
Após um período de privação de ambos os recursos, o acesso ao smartphone se mostrou uma consequência muito mais reforçadora para o comportamento dos participantes da pesquisa. Ou seja, os estudantes estavam muito mais motivados a trabalhar para ganhar tempo de uso de smartphone do que para consumir seu lanche preferido.
 
Como os smartphones são reforçadores poderosos, sua presença têm a força de distrair ou redirecionar a atenção dos estudantes, diminuindo a probabilidade dos jovens se engajarem em atividades alternativas. Isso tem tido implicações desastrosas na vida social e desempenho acadêmico dessa população. Intervenções que tentam ajudar as pessoas a se desconectar, deve levar em consideração o acesso a reforçadores alternativos.
 
Fonte: O'Donnell, S., e Epstein, L. H. (2019). Smartphones are more reinforcing than food for students. Addictive behaviors, 90, 124-133.



Compartilhar no WhatsApp


Compartilhar no Facebook